Reconhecimento, redistribuição e participação popular: por uma política judicial integradora

DECLARAÇÃO DE APOIO

O GT Gênero – Fórum Justiça*, articulação de movimentos, organizações da sociedade civil, setores acadêmicos e agentes públicos do sistema de justiça para discutir política judicial com participação popular – manifesta seu apoio à nota pública firmada pelo Exmo. Sr. Reitor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) à Comunidade Universitária, datada de 23 de maio de 2013, por ocasião da ocorrência de inaceitável ato de violência de caráter claramente sexista e homofóbico contra uma estudante da referida instituição de ensino.

Apoiamos a atitude de denúncia, em detrimento da negação e do silêncio;
Apoiamos a assunção da responsabilidade pela total apuração dos fatos;
Apoiamos a declaração firme de que atos de violência contra as mulheres, de racismo, de homofobia e linchamento são inaceitáveis, devendo ser duramente repudiados;
Apoiamos o chamamento dos professores a sua responsabilidade enquanto educadores, levando-os a fomentar o debate e aprofundar a conscientização da comunidade acadêmica;
Apoiamos a instauração de sindicância a ser realizada por uma comissão paritária formada por homens e mulheres;
Apoiamos a atitude de não permitir que atos de violência contra a mulher permaneçam impunes ou tenham sua gravidade diminuída;

A atitude do Magnífico Reitor traz à lume a premente necessidade de se dar um basta a posturas de intolerância e desrespeito à dignidade da pessoa humana, em qualquer circunstância e nós, do GT Gênero – Fórum Justiça, nos unimos às suas palavras.

Assim, acreditando em relações sociais não discriminatórias das mulheres e em uma sociedade mais justa e solidária, firmamos essa declaração.

GT GÊNERO – FÓRUM JUSTIÇA

*Outras informações sobre o Fórum Justiça e o GT Gênero no www.forumjustica.com.br.