Recognition, redistribution and public participation: for an integrative judicial policy.

Possíveis rotas para conformação do GT Ibero latino-americano

Histórico: impulsos e apoios

A Justiça como Serviço Público Diálogo Europa-América Latina para a Coesão Social Santa Cruz de La Sierra, Bolívia. 2006

Análise das 100 Regras de Brasília por Instituições do Sistema de Justiça do Cone Sul O Acesso a Justiça por pessoas em condição de vulnerabilidade Rio de Janeiro, Brasil – 2009

II Análise das 100 Regras de Brasília por Instituições do Sistema de Justiça do Cone Sul O Acesso a Justiça por pessoas em condição de vulnerabilidade Homenagem ao Catedrático Santos Pastor Prieto Buenos Aires, Argentina – 2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que nos convoca quando falamos em diálogos latino/iberoamericanos?

O que seria então o GT iberoamericano?

Espaço dedicado ao estudo, coleta de dados e análises sobre política judicial, com a implementação de estratégias para a intersecção das pautas do Fórum Justiça com a emanada da Cúpula Ibero-Americana de Justiça, observada a produção do setor acadêmico e o acúmulo de organizações e movimentos sociais da América Latina.

Objetivos gerais:

Ações iniciais propostas (2013 – 2014):

  • Promover a discussão interna sobre as perspectivas que a articulação FJ tem em torno da projeção proposta (do local ao regional).
  • Identificação de possíveis parcerias em outros países da Região.
  • Formar equipe e traçar plano de trabalho para:

(i) sistematizar estado da arte: revisão dos documentos decorrentes de plataformas institucionais interamericanas e ibero-americanas, de relatórios e estudos produzidos pelas agências do Estado, movimentos e organizações sociais e setores acadêmicos, sobre ações da sociedade civil nos países latino-americanos após a emissão das 100 Regras de Brasília e outras prescrições da Cúpula Judicial Ibero americana.

(ii) Concretizar parcerias em outros países da Região.

(iii) Identificar e caracterizar iniciativas inovadoras voltadas para a democratização do Sistema de Justiça, desenvolvidas ou em andamento, por meio de estudo de caso, o que permite conhecer seus limites e possibilidades.