Reconocimiento, redistribución y participación popular: por una política judicial integradora.

Edital de livro sobre defensoria pública e assessoria jurídica popular

A Associação Nacional dos Defensores Públicos (ANADEP), a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (ANADEF), a Articulação Justiça e Direitos Humanos- JusDH, o Colégio de Ouvidorias de Defensorias Públicas do Brasil (CODPB), Fórum Justiça (FJ), Instituto de Pesquisa Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS), a Rede Nacional de Advogadas e Advogados Populares (RENAP), e a Rede Nacional de Assessoria Jurídica Universitária (RENAJU), com o propósito de oportunizar a máxima e democrática participação, tornam público o presente edital de chamada de artigos a fim de, em sendo selecionados conforme as regras deste Edital, comporem livro sobre o tema geral “: novos caminhos traçados na concretização do direito de acesso à justiça”.

Acesse o primeiro volume. http://www.anadep.org.br/wtksite/LIVRO_ID6.pdf

A publicação tem como objetivo visibilizar e construir, em perspectiva crítica e interdisciplinar, conhecimentos e práticas em torno da atuação da Defensoria Pública junto a movimentos sociais, em parceria com a Assessoria Jurídica Popular, organizados na defesa, proteção, concretização e efetivação de direitos humanos e fundamentais no Brasil.

Os artigos devem ser enviados via e-mail para o endereço eletrônicosecretaria@anadep.org.br, até o dia 30 de setembro de 2015.

 

Normas a observar para escrita do artigo

Os organizadores se reservam o direito de apresentar sugestões considerando os objetivos do trabalho.

O artigo deverá possuir um resumo com no mínimo 100 e no máximo 250 palavras, além de cinco palavras-chave, uma introdução e uma conclusão (que poderá se chamar: reflexões finais, considerações finais, conclusão, ou outro título de preferência do autor). Para instruções sobre uso de subtítulos ou títulos de secções dentro do artigo veja exemplo de formatação ao final. Citações no corpo do texto deverão vir entre aspas (não usar itálico). Usar notas de rodapé se estritamente necessário e não usar notas de rodapé para citações bibliográficas. Essas devem ser feitas entre parênteses (Politis, 1999: 23) ou Politis (1999: 23). Fotos, tabelas e gráficos devem ser usados com moderação.

Sobre formatação

Os trabalhos deverão ser formatados da seguinte maneira: fonte Times New Roman, corpo 12, espaço 1,5, alinhado em justificado, sem recuo ou espaçamento entre linhas; folha A4, margens 2,5 cm.

Citações bibliográficas

As citações bibliográficas no texto deverão vir da seguinte forma:

Para um único autor: (Autor, ano: página). Exemplo: (Reichel-Dolmatoff, 1971: 344).

Para dois autores: (Autor & Autor ano: página). Exemplo: (Cruxent & Rouse, 1963: 45-47).

Para três autores ou mais: (Autor, et al. ano). Exemplo: (Heckenberger, et al. 1996).

Artigo em periódico

Almeida, Miguel Vale de. 1997. “Ser português na Trindad: etnicidade, subjetividade e poder” In Etnográfica. Vol. I (1), pp. 9-31 Disponível em:http://ceas.iscte.pt/etnografica/lang_en/2001_05_01.php . Acesso em: xx.xx.xxxx.

ou

Alonso, Sara. 1999. “A disputa pelo sangue: reflexões sobre a constituição da identidade e ‘unidade Tembé’” In Novos Cadernos NAEA. 2(2):33-56.

Artigo em periódico com múltiplos autores

Fernandes, Edimar Antonio; Silva, Almir Vital;  & Beltrão, Jane Felipe. 2011. “Associação indígena Tembé de Santa Maria do Pará: um relato sobre a luta por direitos étnicos” In Amazônica: Revista de Antropologia. 3(2):392-406. Disponível em:http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica/issue/view/40 . Acesso em:xx.xx.xxxx.

Livros

Araújo, Ana Valéria et al, 2006. Povos Indígenas e a Lei dos “Brancos”: o direito à diferença. Brasília, MEC/SECAD – LACED/Museu Nacional. Disponível também emhttp://www.laced.mn.ufrj.br/trilhas/ .

ou

Cardoso de Oliveira, Roberto & Baines, Stephen G. (orgs). 2005. Nacionalidades e etnicidades em fronteiras. Brasília, UnB.

Capítulo em livro

Duarte, Luiz Fernando Dias. 1986. “Classificação e valor na reflexão sobre identidade social” In Cardoso, Ruth (org.). A Aventura Antropológica. Rio de Janeiro, Paz e Terra, pp. 69-92.

Dissertação ou Tese

Alonso, Sara. 1996. Os Tembé de Guamá : processo de construção da cultura e identidade Tembé. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro/Museu Nacional. (Inédito)

Relatório Inédito

Simões, Mário. F., & Figueiredo, Napoleão. 1964. Projeto Marajó. Museu Paraense Emílio Goeldi. Relatório de Campo. (Inédito)

Normas estilísticas

Títulos e Subtítulos

Para facilitar a diagramação e editoração final do trabalho, solicita-se aos autores que usem um mínimo de formatação em seus artigos, atendo-se às normas para submissão dos trabalhos.

Os títulos principais devem ser escritos em letras maiúsculas e minúsculas em corpo 12. Os títulos secundários devem ser escritos em letras maiúsculas e minúsculas em corpo 12, e os títulos de terceira importância ou subtítulos devem ser escritos em letras maiúsculas e minúsculas também em corpo 12.

Figuras, Tabelas e Gráficos

Figuras no texto devem ser mencionadas como Figura 1 caso venham no corpo do texto ou (Figura 1) caso venham entre parênteses. No caso de tabelas e gráficos também deve ser digitada a palavra completa: Tabela 1 ou (Tabela 1), Gráfico 1 ou (Gráfico 1).

As legendas devem ser escritas desta forma:

Figura 1 – Vista aérea do Parque do Tumucumaque.