Reconhecimento, redistribuição e participação popular: por uma política judicial integradora

Luciana Zaffalon

Formada em Direito na PUC-SP, tem mestrado e doutorado em Administração Pública e Governo pela FGV-SP. Principais atividades profissionais: desde 2017 exerce a coordenação-geral do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (Ibccrim) e integra, desde 2016, a Secretaria Executiva da Plataforma Brasileira de Política de Drogas. Exerceu dois mandatos como Ouvidora-Geral da Defensoria Pública do Estado de São Paulo (2010-2012 | 2012-2014), período em que também exerceu a Presidência e a Diretoria Legislativa do Colégio Nacional de Ouvidorias das Defensorias Públicas. Coordenou o Instituto de Defesa do Direito de Defesa (Iddd) entre 2004 e 2010. É pesquisadora do Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da FGV (CEAPG/FGV) e integra o Grupo de Estudos e Trabalhos – Mulheres Encarceradas, tendo sido relatora do Grupo de Trabalho Interministerial do Governo Federal para Análise e Estruturação de Políticas Públicas para o Encarceramento Feminino. Autora do Livro Uma Fenda na Justiça – a Defensoria Pública e a Construção de Inovações Democráticas, realizou estágio doutoral no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (2014-2015). Atua na área de Justiça e suas interfaces com a Administração Pública. Tem experiência no campo do Direito, com ênfase em Direitos Humanos e em Administração Pública, operando principalmente nos seguintes temas: participação e controle social, democratização do acesso à Justiça, gestão na área de justiça, ouvidorias, encarceramento feminino, sistema prisional, gênero, drogas e justiça criminal.